Abrindo...

Vacinação contra HPV



O Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), em 2014, ampliou o Calendário Nacional de Vacinação, com a introdução da Vacina Papilomavírus Humano (HPV) quadrivalente no Sistema Único de Saúde (SUS).

A vacinação, conjuntamente com as atuais ações para o rastreamento do câncer do colo de útero, possibilitará, nas próximas décadas, prevenir esta doença que representa, hoje, a quarta causa de morte por neoplasias entre mulheres no Brasil.

O vírus HPV é altamente contagioso, sendo possível contaminar-se com uma única exposição, e a sua transmissão acontece por contato direto com a pele ou mucosa infectada. A principal forma de contágio é pela via sexual.
O câncer do colo de útero é uma doença grave e pode ser uma ameaça à vida das mulheres. Cerca de metade de todas as mulheres diagnosticadas com câncer do colo de útero tem entre 35 e 55 anos de idade. Muitas provavelmente foram expostas ao HPV na adolescência ou na faixa dos 20 anos de idade. Dados da Organização Mundial da Saúde de 2008 apontam que, todos os anos, no mundo inteiro, 500 mil mulheres são diagnosticadas com a doença, das quais cerca de 270 mil morrem.

O Papanicolau, exame ginecológico preventivo mais comum (também denominado exame preventivo ginecológico) é considerado o melhor método para detectar o câncer do colo de útero e lesões que podem anteceder o câncer.  O exame deve ser feito, preferencialmente, pelas mulheres entre 25 a 64 anos, que têm ou já tiveram atividade sexual. As Estratégias de Saúde da Família e os Centros de Saúde do município de Curvelo estão disponíveis para realização do exame que é gratuito.

A vacina HPV está sendo ofertada para adolescentes entre 9 e 13 anos de idade, nas Unidades Básicas de Saúde.

O objetivo da vacinação contra HPV no Brasil é prevenir o câncer do colo de útero, refletindo na redução da incidência e da mortalidade por esta enfermidade.

Em 2014, a população-alvo da vacinação contra o HPV foram adolescentes do sexo feminino, na faixa etária de 11 a 13 anos.

Neste ano de 2015 estamos vacinando as meninas na faixa etária de 9 a 11 anos, 11 meses e 29 dias de idade. Serão também vacinadas, de maneira diferenciada, as mulheres de 9 a 26 anos, vivendo com HIV.

É importante lembrar que a vacinação é uma ferramenta de prevenção primária e não substitui o rastreamento do câncer do colo de útero em mulheres na faixa etária entre 25 e 64 anos ou que já iniciaram vida sexual.

A vacina HPV é uma vacina muito segura, com possibilidade de ocorrência de eventos adversos leves como dor no local da aplicação, inchaço e eritema.

Em casos raros, pode ocasionar dor de cabeça, febre de 38° C ou mais e síncope (ou desmaios). O desmaio, mais frequente em adolescentes e adultos jovens, é particularmente comum em pessoas com alguma particularidade emocional. Geralmente, há algum estímulo desencadeante como dor intensa, expectativa de dor, jejum prolongado, medo da injeção, fadiga, dentre outros.

Em toda a atenção à saúde de adolescentes devem ser levados em consideração os fundamentos da ética, privacidade, confidencialidade e sigilo. Esses princípios reconhecem os adolescentes (na faixa etária de 10 a 17 anos de idade) como sujeitos capazes de tomarem decisões de forma responsável. Sendo assim, não há necessidade de autorização dos pais ou responsáveis para receber qualquer vacina nos postos de saúde. No entanto, por se tratar de uma importante ação de saúde pública e ter como estratégia a vacinação nas escolas, aqueles pais que se recusarem a permitir que seus filhos sejam vacinados nas escolas deverão preencher o Termo de Recusa de vacinação contra HPV e enviar para a escola ou Unidade durante o período em que ocorrer a vacinação nestas localidades.

Desde o dia 02 de março já estamos vacinando as adolescentes na nova faixa etária para esse ano, de 09 a 11 anos e as mulheres de 9 a 26 anos, vivendo com HIV. Além disso, aquelas meninas que estavam contempladas para receber a vacina no ano passado (de 11 a 13 anos) que não foram imunizadas com a primeira dose em março 2014 ou com a segunda em setembro de 2014, também podem colocar seu esquema vacinal em dia.

Atualmente ainda não estamos com uma procura dentro do esperado para vacinação nos nossos serviços de saúde. Destacamos que a vacinação é a forma mais eficaz de se prevenir o contágio pelo HPV e quanto mais cedo a mulher se vacinar, menos riscos ela tem de se contaminar com o vírus.


Fontes: Ministério da Saúde - Guia Prático sobre HPV e Informe Técnico da Vacina Papilomavírus Humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante)
notícia 8281306800813306596

Postar um comentário

emo-but-icon

Página inicial item

Notícias por E-mail

ADS

Notícias Populares